FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

H. DE LEÓN


Hugo Eduardo de León Rodríguez, mais conhecido apenas como Hugo de León, ou simplesmente De León (Rivera27 de fevereiro de 1958), é um ex-treinador e ex-futebolista uruguaio, que atuava como zagueiro. É considerado um dos maiores zagueiros do futebol mundial.

Nombre:Hugo Eduardo de León Rodríguez 
Apodo:El Hugo, El Patriarca, El Patrón, Corazón de León 
Nacimiento:27 de febrero de 1958 (53 años) 
Rivera,Uruguay 
Nacionalidad:uruguayo 
Posición:defensa 
Estatura:1,87 metros 
Partidos internacionales:48 
Año del debut:1977 
Club del debut:Club Nacional de Football 
Año del retiro:1993 
Club del retiro:Club Nacional de Football
 
Foi revelado pelo Nacional de Montevidéu, e aos 17 anos já era capitão do time.
De León foi uns dos mais vitoriosos zagueiros do futebol sul-americano. Chegou a ser campeão da Copa Libertadores da América e da Copa Intercontinental com o Nacional em 1980, quando se tornou célebre pelo estilo de marcação à frente, com muita técnica e precisão ao anular as jogadas de armação do então craque do Internacional (adversário na final), Paulo Roberto Falcão, em 1980. E, pela Seleção Uruguaia de Futebol, ganhou o Mundialito de futebol de 1980.
Assinou com o Grêmio, em 1980. Em 1981, o jogador foi Campeão Brasileiro. E, em 1983, sagrou-se novamente campeão da Libertadores e do Intercontinental, mas dessa vez pelo time brasileiro.
Seleção Uruguaia
Nacional
Grêmio
River Plate