FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

terça-feira

GOOOOOOOOOOOOOOOL !!!!!!! URUGUAY !!!!! GHIGGIA !!!!!!




Aos 33 minutos e 30 segundos aconteceria o “gol eterno”. Ghiggia tabela com o meia Julio Perez, recebe na frente, ganha na corrida de Bigode, avança com ela, e quando todos esperavam que ele fosse cruzar, inclusive o arqueiro Barbosa que havia dado um passo para o lado afim de interceptar mais uma bola na área, chuta praticamente sem ângulo entre a trave esquerda e o goleiro brasileiro, que foi pego no contrapé. Barbosa ainda voltou e chegou a tocar na bola, mas ela já estava no “fundo das redes”. A seleção não conseguiu reagir e a partida terminou 2x1 para os uruguaios.