FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

domingo

URUGUAIO LODEIRO: ARTILHEIRO DO BOTAFOGO


O jovem Lodeiro foi a surpresa das convocações de Oscar Tabárez para as duas partida de repescagem contra a Costa Rica, que definiram a classificação do Uruguai para a Copa de 2010.
Lodeiro foi destaque da categoria de base e do profissional da equipe do Nacional, com a qual estreou com apenas 18 anos, muito por conta de sua habilidade de driblador e velocidade na condução da bola até o ataque, além de fazer gols com frequência.
Em 2009, foi peça fundamental da equipe que alcançou as semifinais da Copa Libertadores da América, fato que o alçou a uma das grandes revelações do país, sendo considerado o melhor jogador a atuar no Uruguai neste mesmo ano. O sucesso garantiu a Lodeiro uma transferência para o Ajax, da Holanda.
Em 2010, o jogador participou da histórica campanha do Uruguai na Copa do Mundo da África do Sul, que ficou com a quarta colocação, posição que a seleção não alcançava desde 1970.