FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

quinta-feira

JUAN PÍRIZ

Seleção do Uruguai Campeã da Copa América 1935

Em pé: Denis, Macchiavello, Héctor Castro, Olivera, Zunino, Ballestrero, Nasazzi, Lorenzo Fernández, Muñíz e Juan Peregrino Anselmo; agachados: Haeberli, Taboada, Ciocca, Braulio Castro, Enrique Fernández e Juan Píriz.

Juan Píriz (May 17, 1902 – March 23, 1946) was an Uruguayan football (soccer) player who competed in the 1928 Summer Olympics.
He was a member of the Uruguayan team, which won the gold medal in the football tournament.
He played club football for Defensor Sporting and Nacional.

ÁMSTERDAM 1928: Campeón Olímpico