FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

quinta-feira

OS GRANDES MESTRES DO FUTEBOL BRASILEIRO


Técnico uruguayo Ramon Platero
RAMÓN PLATERO foi um grande treinador de sua época, um uruguayo que teve grande sucesso no Brasil dirigindo o Flamengo, o Fluminense, o Vasco e também o São Paulo. Antes havia dirigido a seleção de seu país, ganhando o bi-campeonato sul-americano com a Seleção Uruguaya (atual Copa América) em 1917.

HUMBERTO CABELLI (1930; 1932 a 1935)
105 Jogos (72 vitórias, 19 empates e 14 derrotas).
Títulos: Paulistas 1932/33/34, Rio/Sp 1933.

Praticamente um desconhecido para a maioria dos torcedores, o Uruguayo Humberto Cabelli é o maior treinador da história do Palestra Itália. Os números não deixam dúvidas. Com um percentual impressionante de 70% de vitórias em mais de 100 jogos, era o técnico da equipe na conquista do tricampeonato paulista de 32/33/34, o único em nossa história.

No entanto, a história de conquistas poderia ter sido diferente. Em 1930 assumiu o Palestra pela primeira vez, mas não foi além de um terceiro lugar. Na época favorito aos títulos, o terceiro lugar era considerado grande decepção, e na temporada seguinte ele já não estava no comando do time. Nessa década, o Uruguai era a melhor seleção do mundo, bi-campeã olímpica e campeã do primeiro Mundial da Fifa. Por isso, acreditava-se que um técnico Uruguayo era o ideal para qualquer equipe. Com isso, acabou tendo outra chance como técnico do Palestra em 1932, e dirigindo um timaço que contava com Romeu Pelicciari, consagrou-se com o tri do Paulistão e o título do primeiro Rio/SP da história. Foi também o primeiro treinador do Palestra na era do profissionalismo, que se iniciou no Brasil em 1933. Treinou também o Náutico.


HECTOR CABELLI

O treinador uruguayo Hector Cabelli chegou ao Fluminense em 1936, ficou pouco tempo, mas montou aquele que seria um dos times mais espetaculares da história do futebol brasileiro, tendo uma hegemonia impressionante durante seis anos. Saiu no meio do Campeonato de 1936, entregando o comando ao compatriota Carlos Carlomagno. Voltaria ao Fluminense em 1945, para mais uma rápida passagem.

CARLOS CARLOMAGNO
O técnico uruguayo Carlos Carlomagno assumiu o comando do Fluminense em 1936, após a saída de seu compatriota Hector Cabelli. Mantendo o time formado por Cabelli, Carlomagno conquistou o Campeonato Carioca, na final contra o Flamengo. Aquele time, a cada ano reforçado aqui e ali, seria um dos mais vitoriosos da história do Fluminense, conquistando cinco Campeonatos em seis anos (36, 37, 38, 40 e 41). Carlomagno foi o técnico no tricampeonato 36/37/38 (no meio do certame de 38, passou o cargo a Ondino Viera, outro compatriota). Além dos três canecos, conquistou também o Torneio Municipal de 1938.


Técnico uruguayo Ondino Viera
O uruguaio OndinoViera formou o time do Vasco campeão sul-americano de 48 e influenciou todo o esquema tático do Brasil. Inclusive,era admirado por Zezé Moreira. Em sua volta ao Nacional, ele trouxe o 4-2-4 que acabou por tornar-se tradicional também no Brasil. Além disso, ele praticamente ensinou os brasileiros a jogarem contra os europeus. Mostrou a importância de impedir os cruzamentos na área e lembrou que o principal era o jogo coletivo.

O treinador Ondino Viera foi mais um uruguayo a fazer grande sucesso no futebol brasileiro. Chegou ao Fluminense em 1938, para substituir o compatriota Carlos Carlomagno. Mantendo a base da equipe formada pelo antecessor, Ondino conquistou o Campeonato Carioca de 1938, completando o segundo tri do Fluminense. Continuou no comando da lendária equipe, conquistando também os Campeonatos de 1940 e 1941, e o Torneio Extra de 1941. Em uma passagem posterior, ainda venceria o Torneio Municipal de 1948. Comandou o Fluminense em um total de 264 jogos, com uma marca impressionante de 158 vitórias. Seus times jogavam para o ataque, fato comprovado pelos incríveis 765 gols marcados por seus times, média de quase 3 por partida.

Treinador uruguayo Ricardo Diez
Ricardo Diez Santa Cruz, mais conhecido como Ricardo Diez, foi um jogador e treinador de futebol. Chegou ao Atlético primeira vez em 1950e comandou o time na vitoriosa excursão à Europa, que rendeu ao Clube o título simbólico de Campeão do Gelo. Voltou ao Galo em 1954 e foi Tricampeão Mineiro (1954/55/56). Sob seu comando, foram 171 jogos, 104 vitórias, 33 empates e 34 derrotas, 401 gols a favor e 228 contra. Treinou também o Grêmio Santanense, S.C. Internacional,Sport Club Recife,Náutico e Santa Cruz do Recife.
O uruguayo Ricardo Diez descobriu o atacante Ademir Menezes, que foi um dos maiores artilheiros do país, jogando no Vasco, Fluminense e Seleção Brasileira.